Sucesso de público, Festival de Bonecos de Canela trouxe dias de magia e fantasia à Serra Gaúcha

Noticias Serra Em Outubro 15 Outubro / 2012 Segunda-feira por Gramadosite

Na tarde de sexta-feira (12), foi a vez do tradicional Desfile de Bonecos promover uma verdadeira integração entre os protagonistas do evento e o público que o prestigia. Animados pela Banda de Percussão da Escola Neusa Mari Pacheco, bonequeiros e os visitantes, munidos também de suas marionetes, desfilaram pela Av. Felisberto Soares e promoveram uma verdadeira integração de culturas. Quem assistiu a esse verdadeiro show foi surpreendido por bonecos de todos os tipos: grandes e pequenos, de pano e de madeira, de fios e de luvas, manipulados por pessoas de todas as idades.

A viagem a Canela neste feriado foi especialmente programado pela família da pequena Cecília Silveira Burgdurff, de 6 anos, que participou do desfile. Desde 2006, o Festival de Bonecos de Canela preenche o roteiro dela e de seus pais na Serra. "Sempre nos programamos para vir ao Festival. É uma das coisas mais lindas que existe. E ele também ajuda a montar o capital cultural da criança, algo que só a arte pode dar", fala Raquel da Silva Silveira, 44 anos, mãe de Cecília. Embora sem compreender direito o que isso pode significar para sua vida, Cecília explana sobre as atividades que presenciou. "O que eu mais gostei foi o teatro de caixa", conta. A menina é filha do músico Richard Serraria, que destaca a verdadeira beleza do Festival. "O Bonecos possibilita um intercâmbio de expressões de diferentes lugares. Diferentes linguagens não só para os bonequeiros, mas para todos aqueles que lidam com a arte. Além disso, as peças são de altíssimo nível e poderiam estar sendo apresentadas em qualquer lugar do mundo, mas estamos vendo aqui em Canela, tão perto de casa", finaliza.


Dos palcos internacionais para Canela
Jordi Bertran, um dos maiores especialistas europeus na técnica de fios, volta à Canela com o espetáculo de marionetes Antologia. Desde 1994, Bertran participa dos Festivais de Bonecos da cidade. “Já perdi a conta de quantos Festivais já participei em Canela, mas posso afirmar que o primeiro foi com poemas visuais. Agora, com teatro de marionetes, trago Antologia pela terceira vez”, conta. O espetáculo chama a atenção pela deliciada manipulação e perfeição das marionetes, que tocam até mesmo violoncelo e fazem bolhas de sabão em meio ao espetáculo. “A ideia de Antologia vem do fato de eu ter trabalhado muito tempo com espetáculos de marionetes, construindo bonecos e criando músicas. Por fim, decidi trabalhar em carreira solo, onde escolhi vários personagens que eu mesmo tinha feito, que gostava muito e que tinham me influenciado de alguma forma”, conta.

O artista comenta também de sua relação com Canela. “Quanto ao Festival de Bonecos de Canela, eu fico sempre encantado. Canela é uma cidade fria com um público quente, que por sua tradição, entende e aprecia a arte de lidar com bonecos. Tenho ótimas recordações de todos os Festivais que já participei, além de sempre encontrar grandes bonequeiros também. Para mim, será sempre uma honra retornar ao Festival Internacional de Bonecos de Canela”, afirma.

Mas a qualidade dos espetáculos não fica a cargo apenas das atrações internacionais. Os bonequeiros canelenses, reconhecidos até mesmo no exterior pelos seus trabalhos, garantem um público fiel e conquistam novos fãs a cada ano. O Proprietário, da bonequeira Bety Bado, é uma peça de teatro de luva que revela ao expectador os costumes e crenças de uma antiga civilização latino-americana, descoberta em um sítio arqueológico.
Com muita simpatia, é possível se divertir com a leveza de Bety ao manipular as bonecas desta peça, mostrando a disputa de duas moças entre o espaço de um teatro. “Para mim, é uma honra participar do 24° Festival de Bonecos, principalmente por ele ser um festival reconhecido nacional e internacionalmente. Na China se conhece o nosso Festival de Bonecos, como em vários outros países, e isso faz com que os melhores bonequeiros do mundo queiram estar aqui, participando dele. E por ser um festival sério, os melhores bonequeiros do mundo realmente estão aqui. Então para mim realmente é uma honra participar mais uma vez do Festival e estar entre os melhores bonequeiros do mundo: estar no meio dos bons é melhor ainda”, conta.



A irreverência dos espetáculos de rua

A arte bonequeira ganhou também as ruas de Canela. Espetáculos ao ar livre e gratuitos foram sucesso entre aqueles que prestigiaram o evento. Para o bonequeiro André Guedes, da Cia Goliardos, que trouxe ao festival as peças “Rosa Flor, o gato malhado e a passarinha” e “O cobertor de Jane”, a recepção do público foi uma das maiores da história do evento. “A aceitação deste ano está sendo ótima e maior que as outras edições. Todos os espetáculos estão lotados e eu fico muito feliz de ver que o público esta mais aberto para os nossos novos personagens”, fala.

Samuel e Manuela, 8 anos, vieram de Campo Bom e integraram esse público que lotou as ruas da cidade. Os dois conhecem o Festival pela primeira vez. "Nós gostamos muito da apresentação que vimos hoje ela foi muito divertida e engraçada, ano que vem queremos vir novamente”, comentam após a peça de André Guedes.

Também a simplicidade e o humor irreverente do teatro de caixa atraiu o público através de um história envolvente e curiosa que se passa com personagens que têm uma caixa como palco. “Os Músicos de Bremen”, conto de fadas escrito pelos Irmãos Grimm, é o responsável pela missão de induzir o espectador a acreditar e aceitar a união do amor e da dúvida para entender a finalidade de toda a trama. Uma pequena plateia é formada recebendo o suporte auditivo de fones de ouvido, para que possa escutar os diálogos dos personagens.

O Festival também abriu espaço para a cultura gaúcha. O bonequeiro Nelson Haas trouxe ao palco da Praça o espetáculo “Gaúchos”. Citando no texto dos personagens localidades do município e o vocabulário típico regional, cinco bonecos devidamente caracterizados com as vestimentas que representam as raízes rio grandenses arrancaram gargalhadas do público, com suas interpretações e homenagens a região do país que habitam. Haas finalizou sua apresentarão agradecendo a oportunidade de estar mais uma vez compartilhando o palco com diversos artistas do ramo dentro do festival.



Fantasia e ludicidade com circo de bonecos

O grupo Tholl foi a atração que movimentou o Festival de Bonecos de Canela no Dia das Crianças. Na tarde e na noite de ontem (12), o espetáculo “O Circo dos Bonecos” envolveu o público do teatro municipal com suas cenas dinâmicas de canto, técnica circense e interpretação. O colorido dos figurinos, aliado a coreografias bem elaboradas, conquistou as famílias que presentearam seus filhos com a peça, que falava sobre a amizade entre bonecos e seres humanos.

Foi a oportunidade também de Canela se orgulhar: um dos principais personagens da trama foi interpretado por um artista canelense. Victor Tombesi, que deixou a cidade de Canela há três anos para entrar para a trupe, fala de sua alegria em estar pela primeira vez no município se apresentando com a equipe. “Estou muito honrado e orgulhoso de estar aqui no Festival de Teatro de Bonecos com o Tholl. Além disso, aqui é minha cidade, da qual sinto muita falta. Meu irmão, Vinicius, também está no grupo fazendo treinamentos e, desde a sua entrada, já ficou possível matar a saudade de pelo menos um membro da família. Hoje todos virão me ver e isso é algo maravilhoso. Para 2013, tenho para dizer que o grupo terá novidades e espero poder mostrá-las aqui neste palco novamente ”, destaca.

Categorias:   Notícias | Artigos | Economia e Negócios | Estilo | Cultura | Esportes