Assim se passaram dez anos

Economiaenegocios Artigos 06 Fevereiro / 2013 Quarta-feira por Décio Baptista Pizzato

Lembrando que no início do ano passado o ministro da Fazenda, Guido Mantega alardeava 4% no crescimento do PIB. E não só isso, na ocasião o governo celebrava com entusiasmo a notícia de que o PIB do país havia superado o britânico, fazendo do Brasil a sexta maior economia do mundo. Analistas já estimam a volta do Brasil para sétima posição.

Preocupado que talvez a economia não deslanche em 2013 e também não venha ser o esperado para 2014, o presidente e prefeito paulistano em exercício, Luis Inácio Lula da Silva, já começou as articulações para a chapa da eleição presidencial do próximo ano. Caberia ao PT a cabeça da chapa e a vice ao PSB, representado pelo atual governador de Pernambuco, Eduardo Campos, neto do ex-governador Miguel Arraes. Como o PMDB não mais faria parte da chapa e talvez por isso tenha sido lhe dado agora a presidência das duas casas do Legislativo, Senado e Câmara.

Está previsto para o dia 1º de março a divulgação das Contas Nacionais, onde se inclui o PIB, lembrando que já se terão passados dois meses do ano de 2013, que são os primeiros passos do que acontecerá com a economia neste ano.

É publico e notório que o sucesso alardeado pelo governo anterior na condução da economia durante as turbulências da economia mundial teve como propulsor dois motores, os recursos da Petrobrás e a colocação de títulos públicos no mercado.

O setor de petróleo e gás foi objeto bem destacado na mensagem presidencial e sob o eufemismo de "uma pausa necessária para avançar na regulamentação do setor e garantir benefícios econômicos e sociais desses recursos energéticos, será realizada em maio, a 11ª Rodada de Licitações na modalidade de concessão". Traduzindo, estava tudo parado e aguardando uma montagem de como arrecadar sobre o futuro. Tanto é verdade que se fala em R$ 97,6 bilhões os investimentos da Petrobrás.

Também é mais do que sabido que a empresa foi levada ao estado de inanição em que se encontra em razão da sangrias feitas ao longo do governo anterior e chegou a um ponto agora em atraso aos seus fornecedores. Sobre a empresa foi dito mais no artigo Pintaram e Bordaram, de 06/11/2012.

Quanto a dívida pública foi divulgado neste 5 de fevereiro que a mesma alcançou o montante de R$ 2.007,98 bilhões que dolarizando representa mais de US$ 1 trilhão.

Aos números da Dívida de 2011 e 2012
Dezembro de 2011Dezembro de 2012Variação
Total:R$ 1.866,35 bilhõesR$ 2.007,98+ 7,58%
Dívida Interna:R$ 1.783,06 bilhõesR$ 1.916,71 bilhões+ 7,49%
Dívida Externa:R$ 83,29 bilhõesR$ 91,28 bilhões+ 9,59%




O Brasil deve ter encerrado o ano de 2012 com uma população estimada em pouco além dos 194 milhões de habitantes. Assim prosseguindo na apresentação dos números, eis o que aconteceu nestes últimos 10 anos:

POPULAÇÃO 2012: 194.000.000
POPULAÇÃO 2002: 176.029.560

DIVIDA PÚBLICA de 2012: R$ 2.007,98 bilhões
DIVIDA PÚBLICA de 2002: R$ 623,19 bilhões

RELAÇÃO DÍVIDA/HABITANTE 2012: R$ 10.350,41
RELAÇÃO DÍVIDA/HABITANTE 2002: R$ 3.540,26

VARIAÇÃO DÍVIDA 2012/2002: + 222,09%
VARIAÇÃO DIVIDA PER CAPITA 2012/2002: +192,36%

O Banco Mundial estima que o PIB brasileiro de 2012 se situe em 0,9% e da América Latina como um todo em 3%. Enquanto isso, o governo federal arrecadou em 2012 R$ 1,029 trilhão, ou seja, 6,12% sobre o ano de 2011 e a economia não cresceu nem um cheiro disso.

Assim se passaram dez anos.

Categorias:   Notícias | Artigos | Economia e Negócios | Estilo | Cultura | Esportes