Como mulheres empreendedoras se reinventaram na pandemia

Economiaenegocios Economia E Negócios 27 Outubro / 2020 Terca-feira por Gramadosite

Segundo pesquisa do Sebrae, as empreendedoras foram mais ágeis na hora de implementar soluções tecnológicas em seus negócios -- 71% das mulheres estão usando a internet para venderem seus produtos e serviços, contra 63% dos homens empreendedores.

Com o propósito de impulsionar essas mulheres, a empreendedora Ely Ribeiro criou o Donadelas, uma rede social gratuita para empreendedoras. “Nossa rede está disponível a qualquer mulher que deseja divulgar seu trabalho e fazer networking. Um espaço seguro para que troquem experiências e se ajudem na pesquisa de tendências ou ideias”, afirma a CEO.

Como a pandemia afetou as empreendedoras

Um estudo realizado pela World Business Angels Investment Forum (WBAIF), concluiu que uma das principais dificuldades de 30% das empreendedoras entrevistadas foi lidar com tecnologia e inovação na pandemia.

A empresária Ana Paula Sobrinho, dona de uma loja de moda renomada no Pará é uma delas. As compras de sua loja eram feitas exclusivamente de forma presencial. “Eu ofereço às minhas clientes uma experiência completa quando visitam a loja e prezo até hoje por isso. Com a quarentena, precisamos readaptar e começar a vender online por redes sociais e delivery”, relata Ana.

Apesar da necessidade de adaptação, segundo a pesquisa da WBAIF, pouco mais de 40% das entrevistadas afirmaram ter tido seus negócios afetados positivamente. Ana Paula está dentro dessa estatística: “com as vendas online melhorei a lucratividade e em outubro já ultrapassei a receita de antes da pandemia”.


Tecnologia é o novo normal

Para a contadora e empreendedora Vânia Trindade, a tecnologia é fundamental desde antes do surto de Covid-19. “Implementei um sistema digital na contabilidade. Além disso, meses antes da pandemia, troquei os computadores velhos por notebooks e armazenei todos os documentos em nuvem. Quando tudo aconteceu, já estávamos mais preparados e pudemos atender nossos clientes com rapidez e qualidade”, afirma.

Outra aposta tecnológica para as empreendedoras é estar presente nas redes sociais e na internet. “Estar conectado é uma nova forma de estar disponível e alçar novos mercados. O novo normal para as empreendedoras é estar presente nas redes sociais para impulsionarem seus negócios”, afirma Ely Ribeiro, fundadora da rede social Donadelas.

Categorias:   Notícias | Artigos | Economia e Negócios | Estilo | Cultura | Esportes