Se prepare, o chefe vai estar na sala da sua casa

Economiaenegocios Pessoas 24 Novembro / 2020 Terca-feira por Gramadosite

2020 vai entrar pra história como um ano atípico, cheio de restrições e também poderá ter com a massificação dos novos usos da tecnologia. Após o home office se tornar mandatório, chegou a vez da festa de final de ano, que dessa vez, também terá sua versão remota. O momento de confraternização marca o encerramento de um ciclo e é fundamental para a harmonia do bom clima entre equipe.

Os restaurantes, coquetéis e churrascos poderão dar lugar ao formato digital, via videoconferência. Com isso, a sala de casa da sua casa receberá virtualmente seus colegas e seu chefe. A Master em etiqueta e boas maneiras, Fabi Calvo explica que mesmo estando em casa "ficar a vontade" pode ser uma armadilha.

"O nosso cérebro não distingue a experiência online da presencial, as pessoas realmente sentirão como se estivessem juntas. Entrar na conferência de pijama, sem camisa ou com aquela blusa surrada, com os cabelos desarrumados e semblante abatido é uma receita em tanto para causar uma péssima imagem pessoal",aponta a especialista, destaca Fabi Calvo.

A casa, neste contexto é o pano de fundo e também merece atenção. "Se organize para o momento, vale pensar em uma decoração de natal, com papai Noel, guirlanda, que pode ser simples, mas demonstra cuidado. Nada de bagunça ao fundo, pessoas passando ou situações que possam causar constrangimento", complementa a especialista em etiqueta e boas maneiras.

Os comes e bebes e a diversão

A comida é símbolo de comunhão e a distância pode dificultar essa experiência. Uma dica para as empresas é providenciar pequenos kits e enviar à casa dos seus funcionários. "Não precisa ser nada extravagante, uma pequena tábua de frios e um espumante já funcionam como um ponto de conexão entre todos os participantes e dá aquela 'cara de festa'", sugere Fabi Calvo.

Formatos diferentes exigem adequação, a duração do evento é outro ponto de atenção para os organizadores. A festa não precisa ser tão extensa quanto seria presencialmente, os anos anteriores não podem ser um parâmetro. "A tolerância das pessoas em frente a uma tela é bem menor do que em uma festa em que podem se movimentar, trocar de assuntos e grupos, dançar e passar horas petiscando, por exemplo. A noção do tempo é diferente para uma festa online, 1 hora é suficiente, complementa Fabi.

Para fechar com chave de ouro, pode sim ter o tradicional amigo oculto. De acordo com a máster em etiqueta, essa é uma boa forma de descontrair e integrar os participantes. "Para que a dinâmica funcione, é importante gerenciar quantas pessoas estarão conectadas, salas muito grandes podem se tornar uma bagunça. Promover várias salas e dividir por setores é uma alternativa. Os presentes podem ser virtuais como vale presentes, ebooks ou mesmo itens que podem ser comprados via e commerce e entregues diretamente na casa do presenteado", diz Fabi Calvo.

No ano em que a palavra de ordem foi cuidado com a saúde e com a proximidade física, cuidar do próximo e das relações interpessoais é fundamental.

Categorias:   Notícias | Artigos | Economia e Negócios | Estilo | Cultura | Esportes