“special”: gramado

Cultura Crônicas 15 Dezembro / 2014 Segunda-feira por David Iasnogrodski

Vamos todos realizar um exercício com o pensamento.

1, 2, 3.

Vamos iniciar.

Quando pensamos em Rio Grande do Sul.

O que nos vem à mente?

Agronegócio? Certo.

Capital de todos os gaúchos? Certo.

Estradas “um pouco mal cuidadas”? Certo.

Um litoral imenso com águas frias? Certo.

Cidades litorâneas com altos edifícios e grandes condomínios horizontais? Certo.

Grandes plantações de soja? Certo.

Criação de gado? Certo.

Churrascarias para todos os gostos? Certo.

E o que mais?

Pensar.

Pensar e logo nos vem à mente: Gramado.

Sim. Gramado!

A capital do turismo da região Sul deste imenso Brasil? Certo.

Um dos lugares mais visitados no Brasil? Certo.

Um dos lugares mais conhecidos no Brasil? Certo.

E o que mais?

De Gramado? Sim.

Do chocolate caseiro? Sim

Da Prawer, Planalto e tantas outras marcas? Sim.

Da gastronomia, “incluindo o tradicional Café Colonial e fondue”? Sim.

Das Belezas naturais? Sim.

Do Vale do Quilombo? Sim.

Da hotelaria? Sim

Dos empreendimentos culturais? Sim

Do atendimento no comércio? Sim

E o que mais agrada o visitante?

Natal Luz? Sim.

SIM, com todas as letras maiúsculas.

E é nesta época do ano.

Não poderia ser diferente. Época natalina.

Época de visitar Gramado.

De ônibus.

De carro.

Em excursões.

Não importa os meios de locomoção.

O importante é estar presente neste evento tão tradicional e belo.

Deslumbra-se o trabalho da sua população.

População hospitaleira, seguindo a tradição dos gaúchos.

População trabalhadora. Também seguindo uma tradição dos gaúchos que formam uma miscigenação de raças e credos.

População que nos apresenta com muito cuidado nos detalhes este espetáculo que pé o Natal Luz.

Evento tão falado e comentado por este Brasil afora.

Evento tão encantado por todos: crianças, jovens. De todas as idades.

Isto é Gramado.

Gramado da outrora hortênsia, que ainda pode ser vista, mas em menor número atualmente.

Gramado da outrora linha de trem que ligava Porto Alegre às hortênsias onde meu falecido pai me falava tanto, pois ele e sua malinha iam passar alguns dias na “velha” Gramado do Hotel Bertolucci.

Gramado da Serra Gaúcha.

Gramado do turismo.

Gramado!

Gramado da história.

Gramado de todos os tempos – antigos e modernos.

.......................................................................

Sou gaúcho!

Sou bairrista!

Conheço Gramado.

E digo em alto e bom tom aos gramadenses: Muito obrigado por esse exemplo.

Exemplo de saber conquistar “a indústria sem chaminé” – o turismo.

E com o turismo atraímos gente.

E com a gente atraímos divisas.

E tudo com criatividade, trabalho, organização e muita qualidade.

Mas só podemos conquistar tudo isso se tivermos vontade.

Vontade de crescer.

Vontade de trabalhar.

De vencer.

..............................................................

Gramadenses! Sigam nesta trilha.

Trilha do sucesso.

Trilha do querer vencer.

Trilha do trabalho.

......................................................

Gramadenses!

Nosso orgulho!

Orgulho de todos os gaúchos.

Tenho a certeza de afirmar: orgulho de todos os visitantes.

...........................................

Continuem!

Não esmoreçam.

Passem aos filhos e netos.

Categorias:   Notícias | Artigos | Economia e Negócios | Estilo | Cultura | Esportes