O Silêncio

Cultura Poesia 05 Abril / 2017 Quarta-feira por Cassiano Santos Cabral

O silêncio canta
E embuce as vozes aflitas
Dolorosamente esculpidas
Sob o martelo das perdas
Das ausências e dos ventos
Palavra não dita
Inspirada
Metaforicamente sentida
E projetada no papel
Entre imagens e suspiros
Tal qual a vida nublada
Verticalmente sonhada
Tal qual o azul dos olhos
Dos céus e dos mares


O silêncio canta
Ressoa aflitivo nas mães
Pela falta do pão e do mel
Pela vida cruel
Que tolhe sonhos e oportunidades
Dizer o que
E protestar para quem?
Nos olhos: a canção da esperança
Nos pés ainda resta um caminho
Um alfabeto de sonhos
E anjos a nos guiar.

Categorias:   Notícias | Artigos | Economia e Negócios | Estilo | Cultura | Esportes