Algemas

Cultura Poesia 01 Fevereiro / 2017 Quarta-feira por Cassiano Santos Cabral

Argolas prendem os gritos
E as dores ao infinito
Como um no na garganta
Que não se desfaz
Preso com algemas
Nas conveniências do sistema
E pelo fio das decisões mais acertadas
Em prol de um canto mais livre
De um voo mais denso
Que surpreenda a todos
A escravidão nos enclausura
Nesta partitura sem nota
Apenas uma clave de sol


Vestígios das prisões
Limitados em nós mesmos
Na mecanicidade do sistema
Que nos robotiza em esquemas
E nos engaiola em salas
Entre papeis e leis
Somos parte deste todo
Deste vento recluso
E rarefeito
Num pulmão amazônico
Que anseia por vida
Por paz
E oxigênio.


Enquanto o balde...

Continua cheio de água suja
No meio da sala envaidecida
Onde muitos dormem eternamente
Em berço esplêndido...

Categorias:   Notícias | Artigos | Economia e Negócios | Estilo | Cultura | Esportes