Artigos e Notícias

  • É preciso

    20 Maio / 2020 por Cassiano Santos Cabral
    É preciso

    É preciso renovação O renascimento do sorriso Um anúncio, um aviso Além das nuvens O por do sol Visto nas casas Através das janelas Iluminando lares Como um farol de outono A natureza sem dono Nunca estamos sós Há vida dentro de nós Brindar com o melhores vinhos Saudando o melhor dos ninhos Casa e familia E ofertar a rosa Que desabrocha florida Na esperança de cada ser Aliado a fé maior E [...]

  • Corona

    08 Abril / 2020 por Cassiano Santos Cabral
    Corona

    Covid 19 parece o nome de um filme de ficção cientifica que arrasta multidões às telas do cinema. O cenário é de um filme de guerra, uma guerra mundial na qual o inimigo não é o homem lutando contra o homem ou uma nação contra nação. O inimigo é invisível. Ele quer destruir a raça humana, a qual se uniu tenazmente para combatê-lo.

  • Insonia

    04 Março / 2020 por Cassiano Santos Cabral
    Insonia

    E o sono se foi Despertando silêncios Ao som metálico da madrugada Pendurando esperanças No varal da noite Ao abrigo do vento Ao relento Por onde transitam pensamentos Entre jardins floridos Entre luas No banco dos sem morada Sob o teto estrelar. E o sono partiu Percorreu os becos Atravessou pontes A liga dos cansados Enclausurado em correntes Nao dormiu Em algum lugar está perdido Entre [...]

  • Silêncios

    14 Outubro / 2019 por Cassiano Santos Cabral
    Silêncios

    Ouço silêncios aflitos
 Vejo olhos marejados
 Ombros cansados
 Pesados pelas dores
 Murmúrios da alma
 Vento que acalma
 Desarma e transcende
 Entre as tormentas
 Que a vida nos impõe

 Vejo interrogações
 Um mundo de senões
 Com a bela aparência
 Dor mascarada
 Usando traje de gala 
A tristeza veste o [...]

  • Verde

    09 Setembro / 2019 por Cassiano Santos Cabral
    Verde

    Cavalga no ar A espada do vento Cortando o rosto das árvores Sem braços e nem dedos Caídos no chão Profusão de silêncios A alma desgarrada É flor enlutada A caminho do caos São muitos os maus. Machados nas mãos Matam sem compaixão São filhos das trevas Assassinam raízes As diretrizes das sombras Pela ausência do sol Chora a folha... Em algum lugar a semente Brotará como um presente Sob [...]

  • Entre pai e filho

    06 Setembro / 2019 por Cassiano Santos Cabral
    Entre pai e filho

    As memórias boas Surgem à toa Nas varandas das lembranças Trazendo a infância O tempo com o meu pai Eu subindo nos seus ombros Vendo o mundo mais alto Como se pudesse tocar no céu E pegar estrelas Elas eram as suas mãos... Volto... Ele me ensinando a nadar Éramos os reis do mar Mais fortes que a água E nossos castelos de areia Ninguém destruía Eram [...]

  • Nós

    07 Fevereiro / 2019 por Cassiano Santos Cabral
    Nós

    O corpo pesa sobre nós Quilos de cansaço exaurem a alma A ferida que o tempo não acalma E que permanece em sangue Por tudo aquilo que não foi Pelas horas que passaram Minuto não eternizado Somos vida Casca grossa Exaustão extrema Luta interna Saúde oscilando Verão na contramão E nós: seres vitais Animais em disputas Apenas andarilhos famintos Nutridos pela [...]

  • Deriva

    18 Janeiro / 2019 por Cassiano Santos Cabral
    Deriva

    Estamos à deriva Ombreando a nós mesmos Nas margens de vago pensamento A água invade a secura dos dias Onde somos náufragos Ancorados em lembranças O ontem e o amanhã Apenas interrogam E não advogam Digladiando entre si. O barco é um sonho Cruzando as camadas do silêncio Remamos contra a vida Entre magoas e cansaços Estamos à deriva As margens de um rio [...]

  • Protesto

    11 Dezembro / 2018 por Cassiano Santos Cabral
    Protesto

    Mascaras caem A luz dos dias Alforriando medos Condenando esquemas Robotizados estamos Mecanizados pelo sistema Vivemos entre dilemas Afinal, tudo é negociável Nestes pais de corruptos As ilusões estão caindo Jogo marcado de cartas Perdemos valores E não reconhecemos princípios Ninguém mais nos representa Leis negociadas Delações premiadas Difícil em quem acreditar.... A poesia nos [...]

  • Depois

    10 Setembro / 2018 por Cassiano Santos Cabral
    Depois

    Quando a vida faz a curva Lá pela casa dos enta A gente não mais representa Depois de tantas idas E vindas do sol e da chuva Tira-se o sapato apertado E descalços de vaidades Olhemos com nossos olhos O mistério do existir Aquele que ninguém nos contou... Muito se aprende e pouco se usa É muito o calculo e pouca é a piada Gente letrada é chata e não ri A mais bonita [...]

  • Agosto

    22 Agosto / 2018 por Cassiano Santos Cabral
    Agosto

    O vento passeia Entre o vão da ausência Vazio de sol Espelho de agosto Nuances do frio Agasalhando perdas A luz de invernos Falta o abraço terno O calor e o pão. As águas caem Sob as ruas não vistas Na calada da noite Deslizando sentimentos Como gota de lágrima Furtiva em busca do nada Somos feito madrugadas Folhas ao leu Levadas pelo signo da sorte [...]

  • Meninos de rua

    20 Julho / 2018 por Cassiano Santos Cabral
    Meninos de rua

    Múltiplos rostos Olhos sem luas Carentes de afeto Vivem sem teto Entre os vetos do mundo Na labuta suada Pelas madrugadas São brancos e negros E muitos os medos... Avançam mais e mais Vendendo jornais Caminhos plurais Muitas andanças Entre a dor e insegurança Presos as amarras da sorte Vencem a visita da morte Driblando a falta de fé Em calada oração. [...]

  • Olhares

    12 Julho / 2018 por Cassiano Santos Cabral
    Olhares

    Olhei dentro do tempo Encontrei a lua no varal Ao balanço do vento Perpetuando sentimentos Redimindo ausências Pelos dias sem sol Chuva miúda em nós Aos olhos do rosto Em cinzentas emoções E dentro do túnel das horas Interpretei silêncios Abanei poeiras E descansei na praça De graça e sem pressa No banco da infância Lembranças floridas Ao entardecer de [...]

  • Dúvida

    14 Março / 2018 por Cassiano Santos Cabral
    Dúvida

    Entre todas as perguntas Emerge a certeza da dúvida Do ponto de interrogação Incrustado no meio da vida Entre rochas e mares Pulsam silêncios Ondas dizimando perdas Peixes enganando anzóis Caracóis confinando segredos Resta a solidão marítima Grãos de sonhos Formando castelo Insustentável pilar Somos apenas pegadas E caminhos de sal O resto é vento...

  • Vida

    19 Fevereiro / 2018 por Cassiano Santos Cabral
    Vida

    Mãos que soltam sonhos Como pipas ao vento Nas esquinas do ar Sem a dança das folhas E nem o bailado das glórias Redemoinhos... Perdas oblíquas E a espera Por um lugar ao sol Somos apenas grãos de areia Presos na ampulheta... Mãos que seguram ilhas Dedilhando esperanças Entre a terra e a água Resta a contemplação A juventude prescrita Presa no [...]

  • O poema de hoje

    08 Janeiro / 2018 por Cassiano Santos Cabral
    O poema de hoje

    O poema de hoje É de verso e canção De crença e procissão Navega pelos mares Transporta-se em mil lugares Espelha muitas rimas E pontos de luz Fala da obra na Cruz Redenção e milagres O poema de hoje Não tem inicio e nem fim Fala de sonhos e esperanças De andanças e de silêncios É pão repartido Gesto de amor Mãos solitárias Como ato de fé É voz libertada Pacificada canção. O poema [...]

  • Destino

    17 Novembro / 2017 por Cassiano Santos Cabral
    Destino

    Na curvatura da vida O vento acena as folhas Levadas pelo canto alado O timbre da voz humana Ergue o silêncio da paz Na altura do sonho etéreo Voam os poetas Onde o por do sol é visto No último andar Da cidade vertical As ondas crespas dos mares Conduzem sonhos à vela O sal nos sustenta Como tempero salino da vida E tal como o vento Com asas de águias Traçamos o mapa de vida Andarilhos como [...]

  • Longa

    19 Outubro / 2017 por Cassiano Santos Cabral
    Longa

    Longa é a tarde O dia que não passa A esperança que não se enlaça Nem de sol e nem de lua Descortinando ilusões Como pipas ao leu A vida nua Sem vestes e crua Apenas despida Ausências não lidas Sentimentos que vão E que vem Em dança circular do ar São os uivos de outubro São tempos de muda voz Restam caminhos Lírios não vistos E o azul de cada olhar A descobrir...