Lifting facial: tire suas dúvidas

Estilo Saúde E Beleza 11 Agosto / 2020 Terca-feira por Gramadosite

O lifting facial ou ritidoplastia é uma cirurgia que tem como objetivo elevar a região malar - maçãs do rosto - localizada no terço médio da face, diminuir as rugas do pescoço e rosto, reduzir a flacidez e remover o excesso de gordura, proporcionando um aspecto mais jovem.

Segundo o Dr. Rogério Leal, cirurgião plástico e especialista em blefaroplastia, o médico pode associar o lifting de rosto com outros procedimentos, conforme cada caso. “Essa cirurgia também pode ser associada ao lifting de sobrancelhas que é o procedimento para levantar ou reposicionar as sobrancelhas no local correto, com a blefaroplastia, cirurgia das pálpebras inferiores e superiores, transposição de gordura, peelings químicos e a laser para melhorar ainda mais os resultados”, explica.

Segundo o especialista, muitos pacientes que realizam o lifting facial ainda têm medo de terem uma cicatriz aparente ou um rosto “plastificado” ou excessivamente puxado.

Em relação a esses problemas, Rogério acrescenta que isso já não acontece mais pois, com as técnicas atuais, o cirurgião não mexe apenas na pele, mexe, também, no volume, na superfície e na musculatura, ou seja, em toda a estrutura facial.

Ele explica que hoje as cicatrizes são finas, discretas e ficam localizadas no couro cabeludo. “Elas contornam as orelhas e, após a retirada dos pontos cerca de 15 dias depois do procedimento, são prescritos produtos para auxiliar na cicatrização, como o gel de silicone, por exemplo”, acrescenta o especialista.

Para realizar este procedimento não existe uma idade ideal, mas, sim, o momento e a oportunidade. “O lifting facial, em sua maioria, é realizado para fins estéticos como tirar as rugas do rosto ou diminuir os sinais de envelhecimento. Geralmente, a cirurgia é realizada em pacientes a partir dos 40 anos, quando o bigode chinês ou a linha de marionetes começam a deixar o rosto com aspectos pesados e os preenchimentos já não conseguem resolver os problemas como antes”, justifica o cirurgião.

Para o médico a recuperação do lifting de face e pescoço é um pouco lenta e pode causar desconfortos na primeira semana, por isso é importante seguir as recomendações do cirurgião durante o pós-operatório como tomar alguns remédios para dor, evitar cosméticos e fazer drenagem linfática após a cirurgia para reduzir o inchaço, o que contribui para acelerar a cicatrização.

Assista vídeos e lives no canal do Youtube:https://www.youtube.com/channel/UCEG4X79Ytedp4bbSSuVWW2g/videos



SOBRE O DR. ROGÉRIO LEAL

Médico cirurgião plástico ocula e especialista em Cirurgia Estética e Reparadora das Pálpebras, Dr. Rogério Leal é membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica Ocular e da Academia Brasileira de Cirurgia Plástica da Face, realizando desde cirurgia plástica das pálpebras até tratamentos faciais a laser e peelings químicos.

Formado pela Universidade Federal do Paraná em 1996, mudou-se para São Paulo, onde concluiu sua formação em instituições respeitadas como o Hospital Brigadeiro e o IOTC, além do Detroit Medical Center, nos Estados Unidos.

Médico cirurgião plástico ocular Dr. Rogério Leal, especialista em Cirurgia Estética e Reparadora das Pálpebras, é membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica Ocular e da Academia Brasileira de Cirurgia Plástica da Face, realizando desde cirurgia plástica das pálpebras até tratamentos faciais a laser e peelings químicos.

Formado pela Universidade Federal do Paraná em 1996, mudou-se para São Paulo, onde concluiu sua formação em instituições respeitadas como o Hospital Brigadeiro e o IOTC, além do Detroit Medical Center, nos Estados Unidos.

É professor assistente do Protocolo de Peelings Químicos Palpebrais do Serviço de Cirurgia Plástica Ocular do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP).

Em alguns casos, para obter melhores resultados, o especialista associa cirurgia com outros procedimentos como elevação das sobrancelhas, peelings químicos, laser, preenchimentos com ácido hialurônico e transposição de gordura do próprio paciente.

Após concluir sua formação em Cirurgia Plástica Ocular, seu grande mestre, Dr. Tadeu Cvintal, o encaminhou para realizar um estágio com o renomado cirurgião plástico Dr. Pedro Vital Neto, no Hospital Albert Einstein.

Atualmente, realiza cirurgias nos Hospitais Santa Catarina e Albert Einstein, em São Paulo, no Hospital Samaritano, no Rio de Janeiro, e no Hospital Union, em Curitiba.

Categorias:   Notícias | Artigos | Economia e Negócios | Estilo | Cultura | Esportes