Corpus Christi

Eventos Turismo 12 Maio / 2008 Segunda-feira por Gramadosite


A tradição de preparar tapetes de serragem para a passagem da procissão com o Santíssimo Sacramento foi resgatada depois de quase 40 anos em Gramado. A última comemoração havia ocorrido em 1970, segundo registros da paróquia São Pedro. Somente em 2006 as atividades foram retomadas, ainda timidamente. Em 2007, com o feriado municipal novamente decretado no dia de Corpus Christi em substituição a São Pedro, o empenho dos fiéis na preparação da festa ganhou mais destaque e chamou a atenção pela beleza das formas e a vivacidade das cores.

Em Gramado, em 2012, o feriado de Corpus Christi (07 de junho) e São Pedro em 29 de junho.

Para Deus, o melhor
“Para Deus, o melhor” foi a expressão usada pelo então vigário da paróquia São Pedro de Gramado, padre Jacó André Waden, para definir o trabalho dos devotos na confecção dos tapetes no ano em que a festa – e o feriado – foram retomados na cidade. Os integrantes de movimentos e pastorais da Igreja se envolveram em todas as etapas, desde o tingimento da serragem até o preparo dos painéis.

O trabalho começa a partir dos traços do desenhista comercial Marco Antonio Bossardi, auxiliado por Ronaldo de Oliveira. “O artista não tem fronteiras”, resume Bossardi em entrevista à GramadoSite.com. Ele não sai do pátio da igreja antes que tudo esteja concluído. Acompanha o trabalho de perto, observa as dificuldades dos fiéis e mostra como fazer. “Todos aqui se tornam um pouco artistas neste dia”, considera. Para facilitar o trabalho dos devotos, Bossardi deixa um modelo das figuras com as cores a serem utilizadas, buscando o melhor contraste no trabalho final.


Os tapetes são preparados durante a manhã para a procissão passar por ali à tarde. Centenas de fiéis percorrem as ruas centrais de Gramado. Quatro altares para adoração do Santíssimo Sacramento são montados ao longo do trajeto. Os devotos oram e entoam cânticos de louvor até chegarem à Igreja Matriz, onde é celebrada a missa de Corpus Christi.

De geração em geração
Pessoas de todas as idades arregaçam as mangas para ajudar na montagem dos painéis coloridos. Diva Masotti, 72 anos, ainda lembra das celebrações dos idos de 1950-1960. “As pessoas enfeitavam as janelas de suas casas com as colchas e cortinas mais bonitas que tinham para recepcionar a procissão, que saía de manhã”, conta em entrevista à GramadoSite.com. “Muitas vezes, o frio era intenso e a comunidade, mesmo assim, se reunia em frente à igreja para decorar os tapetes de serragem na madrugada”, recorda.

A pequena Márcia Rodrigues, de 10 anos, percorria todos os desenhos, ajudando a colocar uma serragem aqui e outra ali, conforme as orientações dos adultos. Perguntei se ela sabia o significado da festa. Recebi como resposta um balanço de cabeça em sinal negativo. Ela estava gostando mesmo era da “brincadeira” de fazer desenhos com serragem colorida pelo chão!
História de fé que se transformou em expressão artística
A festividade de Corpus Christi (do latim, significa Corpo de Cristo) foi instituída pela Igreja Católica para realçar a presença real de Cristo na Eucaristia, depois de revelações testemunhadas por Santa Juliana de Mont Cornillon, priora da Abadia de Cornillon, em Lieja, na Bélgica, no século XIII. A primeira procissão de Corpus Christi foi realizada na cidade de Colônia, na Alemanha, em 1277.


A tradição de preparar os tapetes com serragem colorida, borra de café, farinha, areia e alguns pequenos acessórios, como tampinhas de garrafas, flores e folhas, vem dos imigrantes açorianos que chegaram ao Brasil. Fé e beleza que deixam suas marcas também em Gramado.

Corpus ChristiFiéis viram artistas fazendo tapetes de serragem


Matéria publicada em 12/05/2008

Por Taís Seibt
Fotos Arthur Silveira

Categorias:   Notícias | Artigos | Economia e Negócios | Estilo | Cultura | Esportes